Apesar da falta de dinheiro, da falta de espaço próprio e das incertezas diárias do nosso ofício, sinto como uma sempre alegria a energia latente que essa corda bamba provoca.

Saber que estamos trabalhando, que continuamos acreditando. É o teatro, como uma paixão que pede fogo.

E assim a coisa vai tomando forma.

É a chegada de Rafael como um anjo que alumia os caminhos.

É a parceria generosa e amorosa de Pádua, só lição esse rapaz.

É agradecer e seguir.

Dias de muita coisa. Confusão. Profusão.

Mil mundos giram em mim e eu me sinto mareada, às vezes.

Dias produtivos. De encontros e jogo.

Uma retomada.

E eu quero é fazer golssssssssss.

 

[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]
Visitante número: